Desde os ataques de Outubro de 2017 em Mocímboa da Praia, realizados por alegados insurgentes islamistas, vulgarmente referidos como Ahlu Sunnah Wa-Jama e localmente conhecidos como Al Shabab, não é inteiramente claro quem eram os atacantes, quais são os seus objectivos estratégicos e com que apoio nacional e internacional contam. O presente documento, baseado num entendimento histórico do conflito na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, procura identificar possíveis intervenientes e cenários no que já deixámos de considerar uma insurreição para passar a considerar uma guerra.