Este relatório final é o terceiro da série "Políticas de Género e Feminização da Pobreza em Moçambique", revelando uma curiosa incongruência entre declarações frequentemente amplas e gerais sobre a desigualdade de género e a grande variação e complexidade das vidas dos homens e mulheres reais. A província de Gaza, que é o foco deste relatório, passou por uma profunda mudança sócio-económica, incluindo uma grande migração laboral masculina, uma coisificação e ‘feminização’ da agricultura e uma taxa muito alta de infecção pelo vírus do HIV/SIDA. Estes desenvolvimentos tiveram importantes implicações: uma muito grande proporção de agregados familiares chefiados por mulheres; um alto nível de participação das mulheres na agricultura e na economia informal; e uma quase igualdade de género na frequência escolar. De facto, as principais disparidades de género em Gaza parecem estar principalmente ligadas à classe social, sendo as mulheres pobres sem independência económica susceptíveis à continuação do controlo pelo sistema patrilinear e pela ideologia patriarcal.

 

See also: