Entre o início de 2002 e 2009, o governo Angolano investiu cerca de 30,4 mil milhões de dólares americanos em novas infra-estruturas, hospitais, escolas e outros projectos de construção pública. Estes investimentos têm sido extraordinariamente grandes tendo em conta o cenário da destruição substancial das infra-estruturas do país, sofrida durante os 27 anos de guerra civil. Em média anual, as actividades de reconstrução constituem cerca de 10 por cento do PIB. As novas infra-estruturas e edifícios públicos são extremamente importantes para o desenvolvimento económico.

O que questionamos neste artigo é até que ponto as pessoas e o governo recebem o retorno destes investimentos (“value for money”): Qual o risco de alguns destes investimentos em reconstrução desaparecerem devido à corrupção?